O Instituto

Quem somos

Fundadores

Iran e Neuza, ambos nascidos no interior de Goiás, são casados há 40 anos. Tem um casal de filhos: Raqueline, a filha mais velha é casada com Ricardo G. Garcia e tem dois filhos, Rafael e Gabriel. Paulo Sergio é casado com Fabíola S. Costa e tem Três filhas: Natália, Giovana e Letícia. Os dois casais tem servido no Ministério Pastoral por mais de 15 anos, pois se dedicam à causa de Cristo desde o início de sua juventude, uma vez que “desde a infância tem tido conhecimento das Sagradas Letras”.

Convertidos a Cristo desde 1962, Iran e Neuza ingressaram ao Santo Ministério desde 1968. Trabalharam como pastores em Ouro Verde-GO; Belo Horizonte-MG; Cuiabá-MT e Brasília-DF.

No período de 1985-1987 a família esteve nos EUA onde estudaram. Neuza é formada em Magistério e tem se dedicado exclusivamente ao Ministério, especialmente na área da família. Iran é graduado em Direito – UFMT; obtendo o grau de MAR (Master of Arts in Religion) pelo Emmanuel School of Religion (1987) Johnson City, TN e DMin. (Doctor of Ministry) pela FTSA – Londrina-PR.

Desde 1993 Iran e Neuza vem trabalhando na área de família pela Universidade da Família – Pompéia-SP.

Em 11 de maio de 1994 o casal iniciou uma nova e vibrante frente Ministerial, o MGM – Ministério Grão de Mostarda.

Vinculo ministerial

O Hessed – Instituto da Família e seus ministérios vinculam-se ao Ministério Grão de Mostarda, com sede em Brasília – DF, mantendo com este total interação e sintonia ministerial e organizacional.

 

Finalidade

O Hessed tem por finalidade a pesquisa, a estruturação, o desenvolvimento e a produção de material pedagógico-educativo e a ministração de cursos, seminários e outros meios de disseminação, que visem o resgate e a restauração da identidade, da dignidade, da integridade e do bem-estar da família, podendo atuar em todo o território brasileiro e no exterior.

Para cumprir sua finalidade, o Hessed desenvolve, produz e implementa cursos e seminários, assim como seus respectivos conceitos, métodos, modelos, projetos, literaturas, vídeos, CD´s, DVD´s e outras mídias e instrumentos pedagógicos e de comunicação, assim como encontros e congressos, capacitando e credenciando comitês e líderes específicos com esse objetivo.

 

Missão

Atuar como agente de transformação do contexto social das famílias, procurando elevar a sociedade em que vivemos a patamar superior de desenvolvimento, amor, harmonia e paz planejados por Deus, preparando o povo de Deus para a glória do Pai na eternidade.

A referência é o padrão da graça, do amor e da misericórdia de Deus revelados na Nova Aliança em Cristo Jesus.

 

Visão

Ser um ministério fruto da convicção de que as famílias carecem de uma abordagem cristã fundamentada na Nova Aliança, que vise a prevenção, a cura e a restauração de pessoas e famílias, atuando para evitar e minimizar os sofrimentos familiares e da sociedade em geral.

Criado dentro da ótica complementar e cooperativa, o Hessed não vislumbra ser a única ou a mais importante das iniciativas dedicadas à nobre tarefa de restaurar e edificar as famílias, em apoio às igrejas e à sociedade.

Pretende unicamente realizar a missão que lhe foi confiada, sempre aberto às parcerias em prol do maior alcance possível de pessoas e famílias.

 

Princípios Éticos

Evitar o desenvolvimento de atividades, conceitos, métodos, modelos e projetos iguais ou semelhantes aos adotados por outras iniciativas para resgate e restauração de famílias.

Não competir com outras instituições que atuam com ministérios, cursos ou seminários destinados às famílias.

Fundamentos norteadores

A publicação “Hessed, Pais e Filhos – Um Caminho Sobremodo Excelente”, produzida pelos Pastores Iran Bernardes da Costa e Neuza Maria S. Costa, e apresentada no XVII Encontro Nacional do Ministério Grão de Mostarda no ano de 2011, mostra os pontos que devem orientar todas as ações do Hessed – Instituto Família. São pontos que se constituem nos fundamentos norteadores do Hessed, reproduzidos a seguir.

A ferramenta é o amor

Com ênfase na Nova Aliança, o Hessed busca um caminho sobremodo excelente. Preterindo os meios até agora utilizados, está voltado para as coisas que são melhores e pertencentes à salvação. Estamos nos referindo ao que Cristo conquistou na cruz, um novo estado de espírito e um novo estilo de vida, que o Novo Testamento chama de amor incondicional, ou Hessed (1 Co 13; Hb 6:9).

O método é a aceitação

Uma das mais profundas e urgentes necessidades das pessoas é a certeza de sua aceitação. Todas as pessoas são preciosas e devemos aceita-las como elas estão ou são, pois esta atitude oferece uma oportunidade para a operação da Palavra de Deus e do Espírito Santo, que são poderosos para a salvação de todos. Todavia, é importante ressaltar que aceitar as pessoas não implica em concordar com o estilo de vida que praticam. Por errar na distinção destes dois aspectos (valor individual e estilo de vida) é que a igreja tem falhado em sua principal missão: a de transmissora da graça de Deus e de colaboradora para a transformação da vida das pessoas que lhe são confiadas.

A sustentação é a oração

Respondendo a uma pergunta de D. L. Moody, uma criança disse que “Oração é uma oferta que fazemos a Deus contando nossos desejos por coisas da concordância dele, em nome de Cristo, com confissão dos nossos pecados e com agradecimento por sua misericórdia”.

A oração nunca é um fardo que temos que carregar ou uma obrigação a cumprir. É, antes, um gozo do espírito e tem um poder sem limite.

“Oração é o sincero desejo da alma;

Expresso, ou calado dentro em nós.

O mover de um rio, trazendo calma;

É a comoção de espírito, na congregação ou a sós.

Se preocupação distrai, ou temos assombra;

Se culpa condena, ou pecados consomem;

Em todo caso, Ore! Ore! Descanse, Dele à sombra”.

A atitude central é a compaixão

“Ao aflito deve o amigo mostrar compaixão, a menos que tenha abandonado o temor do Todo-Poderoso” (Jó 6:14).

Será que esse preceito vaticinado por Jó foi validado na Nova Aliança? Mateus registrou essas palavras de Jesus: “Tenho compaixão desta gente, porque há três dias que permanecem comigo e não tem o que comer; e não quero despedi-la em jejum, para que não desfaleça pelo caminho” (Mt 15:32).

Compaixão e temor do Senhor andam de mãos dadas. Essa deve ser sempre nossa atitude principal para com os que sofrem.

O Empenho é o cumprimento do mandato do Pai

Empenho é sede inexaurível de servir. É o aguilhão que nos move a cumprir nosso chamado.

Temos o exemplo tocante de Paulo, que disse: “Porém em nada considero a vida preciosa para mim mesmo, contanto que complete a minha carreira e o ministério que recebi do Senhor Jesus para testemunhar o evangelho da graça de Deus” (At 2:24).

A força é a identidade e o destino

Nosso maior exemplo é o Senhor Jesus. Quando perguntado por Pilatos se ele era rei, Ele respondeu: “Tu dizes que sou rei. Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade” (Jo 18:37). Assim como Jesus, buscamos a certeza de quem somos e para que estamos aqui. É esta convicção a força propulsora daquilo para o que fomos chamados.

A Vida é para cumprir nossa Missão

Todos nós nascemos pelo desígnio de Deus e com uma missão pessoal. Essa missão é a razão da nossa vida.

Atitudes Gerais

Para com os doentes, é curá-los

O ministério de Jesus, que é o nosso paradigma, foi essencialmente de cura. Não temos em nós mesmos o poder para curar, mas o fazemos pelo poder de Deus, que exercemos em nome de Jesus. Também a Palavra de Deus ministrada traz cura e libertação; traz alívio e conforto para as pessoas. Através da oração podemos realizar um excelente ministério de cura.

Para com os perdidos, é encaminhá-los.

A situação do mundo está igual ou pior do que nos dias de Jesus. Por outro lado, encontramos multidões aflitas e exaustas, como ovelhas que não tem pastor. Pessoas que não sabem de onde vem nem para onde vão. Não sabem o caminho; estão perdidas. O deus deste século as cegou de tal maneira que estão sem a menor referência. É nossa incumbência encaminhar essas pessoas. Tanto crianças como adultos; todos precisam ser guiados em toda a verdade.

Para com os caídos, é levantá-los

Por todo o lugar encontramos pessoas caídas, em todos os sentidos. Aqueles que perderam o ânimo para a vida; aqueles que sofreram reveses nos negócios; aqueles que se acham mal sucedidos na criação dos filhos; aqueles que foram vítimas do pecado e muitos outros. Pessoas caídas de todas as maneiras. Deus nos chamou a levantar os caídos, como fez o samaritano ao homem caído no caminho, por onde já haviam passado o sacerdote e o levita.

Para levantar os caídos, temos que nos nivelar a eles, não da mesma realidade física ou moral, mas em atitude de simplicidade e humildade; compreensão e aceitação.

Para com os marginalizados, é valorizá-los

Muitos que vivem à margem do caminho. São indecisos; irresolutos; rejeitados; sem teto; sem voz; sem direito. Nossa tarefa é valorizá-los. Isso significa abrir-lhes o entendimento de que eles têm valor e ajudá-los a descobrir esse valor e utilizá-lo para a viabilização da vida. É investir algum capital moral; resgatar a dignidade; curar a autoestima e sugerir meios para assumir a vida.

Para com os arruinados, é reconstruí-los

Não poucas são as vezes que encontro pessoas, e até famílias inteiras, arruinadas. Às vezes a situação é muito desanimadora e não temos a menor ideia do que fazer. Entretanto, temos também visto pessoas e famílias reconstruídas por Deus de maneira milagrosa. Temos de crer que Deus é poderoso para fazer infinitamente mais do que pedimos ou pensamos (Is 58; Ef 3:20).

Para com os quebrados, é reintegrá-los

Um sentimento de desintegração ocupa o coração de grande parte da população hoje em dia. Não é apenas um sentimento, mas uma realidade. Famílias despedaçadas; pessoas portadoras de malformação social, espiritual e psicológica; desajustes de toda ordem; feridas na alma; atitudes de aviltamento, de aniquilamento e de autoextermínio crescem a cada dia. Essa é a hora de lembrarmo-nos do que vaticinou o profeta Ezequiel, traduzindo o coração de Deus: “a perdida buscarei, a desgarrada tornarei a trazer, a quebrada ligarei e a enferma fortalecerei…” (34:16).

Tal foi o ministério de Jesus, tal deve ser também o nosso: reintegrar os quebrados.

Para com os mortos no pecado, é dar-lhes a vida

Através do ministério realizado por humanos, o Divino devolve a vida aos mortos no pecado. Este é o grande sacramento. É como diz Paulo: “Ele vos deu vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados, nos quais andastes outrora…” (Ef 2:1).

Ecologia Espiritual

Todo organismo precisa de um ambiente onde possa viver e se expressar, para assim cumprir seus objetivos. O Hessed é um ministério criado e fundamentado nas Escrituras Sagradas, portanto é orgânico, e pede uma ecologia que lhe seja apropriada, em três dimensões, a saber:

Relacionamento com Deus

As pessoas envolvidas e comprometidas com o ministério, antes de tudo, são comprometidas com Deus. Vivem uma vida piedosa e virtuosa; isto quer dizer que são devotas à oração e vivem uma vida de pureza e integridade. Ouvem Deus através das Escrituras Sagradas e falam com Deus através da comunhão e da oração. Tem espírito quebrantado e coração humilde e não tem espírito de oposição.

Relacionamento com as pessoas

Nosso relacionamento com Deus implica em relacionamento com as pessoas e vice-versa. Construir, manter e restaurar relacionamentos é uma chamada permanente na vida de cada um de nós. Em relacionamentos, às vezes precisamos nos arrepender, pedir perdão; perdoar e relevar muitas ofensas e desapontamentos. Quando corrigia os irmãos de Corinto sobre litígios entre eles, Paulo lhes faz duas perguntas em tom de repreensão: “Por que não sofreis, antes, a injustiça? Por que não sofreis, antes, os danos?” (1 Co 6:7). Isto significa que o cristão assume os ônus e sofre os danos que porventura lhes restarem nos relacionamentos.

Relacionamento com a natureza em geral

Cremos que a incumbência dada por Deus aos nossos primeiros pais, no Éden, permanece como nosso dever: Cuidar da criação. Deus criou; o ser humano, especialmente o cristão, recria. Ele não só zela pela conservação, mas também pelo desenvolvimento, limpeza e embelezamento de toda a criação. Ecologia é do interesse de Deus e deve ser nosso também.

Quando essa ecologia é respeitada, o ser humano encontra a verdadeira significância para sua vida, seu real propósito, saúde e plenitude de vida.

Redenção

É Graça que inclui para transformar; Graça que transforma para incluir.

Nome

Hessed, o Deus que faz, cumpre e nos ajuda a cumprir a aliança.

Hessed, Amor Incondicional.

Atitude para com Deus

Amor Incondicional, Hessed.

Natureza e Intensidade do Nosso Amor a Deus (Mt 22:37; Mc 12:30-33; Lc 10:27):
Afeição – de todo o coração;
Paixão – de toda a alma;
Razão – de todo o entendimento;
Dedicação – de toda a força.

Além de nosso principal cartão de visita, a família, temos um histórico de mais de quarenta anos de ministério pastoral e mais de trinta anos de dedicação aos estudos e serviços na esfera familiar. Assim, sentimo-nos um pouco mais confortáveis e seguros neste empreendimento, o Hessed, Instituto da Família, este, patrocinado pelo Ministério Grão de Mostarda.

Onde estamos

Anápolis - Goiás
-
Brasília - Distrito Federal
- Grande Colorado 
- Lago Oeste 
- Sobradinho 
- Planaltina
- Sudoeste Manhã
- Sudoeste Noite
- Taguatinga
Canaã dos Carajás - Pará
-

Goiânia - Goiás
-
Imperatriz - Maranhão
-
Joinville - Santa Catarina
-

Palmas - Tocantins
- Palmas Norte
- Palmas Sul)
Parauapebas - Pará
- Amazônia
- Rio Verde
Recife - Pernambuco
-

Rio de Janeiro - Rio de Janeiro
- Niterói
- Ilha do Governador
São Paulo - São Paulo
-
Tucuruí - Pará
-
Valparaiso de Goiás
-